As férias de julho estão para chegar e muita gente não vê a hora de arrumar as malas e por o pé na estrada. Para aqueles que vão aproveitar as semanas de descanso em casa, dormindo até um pouco mais tarde, preocupado com os horários do cinema ou da sessão da tarde, quero sugerir três filmes. Só três? Sim. Apenas três filmes, pouco menos de seis horas, no total, porém todos capazes de lhe fazer pensar sobre os temas propostos, durante semanas.

WAKING LIFE

SINOPSE: O longa de animação Waking Life, de Richard Linklater, traz pessoas da vida real habitando os sonhos de um homem. O enredo gira em torno de um jovem que não consegue acordar de um sonho e tem longas conversas sobre os vários estados da consciência e discussões filosóficas e religiosas com os mais diversos personagens. Waking Life é notável na parte técnica, já que Linklater fez dois filmes em um, ou seja, primeiro filmou seus atores, depois passou o copião para o animador e diretor de arte Bob Sabiston, cuja equipe de 30 artistas recobriu cada imagem através da computação gráfica. Tarefa de fôlego, já que cada minuto final da película, de 99 minutos de duração, foram necessárias 250 horas de trabalho.

O CONTADOR DE HISTÓRIAS

SINOPSE: Baseado em fatos reais. Belo Horizonte, fim da década de 70. Aos 6 anos, Roberto Carlos Ramos já demonstra enorme talento para contar histórias. Caçula de dez irmãos e morador de favela, é o escolhido por sua mãe para ir viver numa nova instituição anunciada pelo governo como uma oportunidade para aqueles que viviam na pobreza.

A ONDA

SINOPSE: Rainer Wegner, professor de ensino médio, deve ensinar seus alunos sobre autocracia. Devido ao desinteresse deles, propõe um experimento que explique na prática os mecanismos do fascismo e do poder. Wegner se denomina o líder daquele grupo, escolhe o lema “força pela disciplina” e dá ao movimento o nome de A Onda. Em pouco tempo, os alunos começam a propagar o poder da unidade e ameaçar os outros. Quando o jogo fica sério, Wegner decide interrompê-lo. Mas é tarde demais, e A Onda já saiu de seu controle. Baseado em uma história real ocorrida na Califórnia em 1967.

Bons filmes e boas férias!

Vinícius Soares Pinto