A Virgin, maior loja de vídeos, CDs, DVDs e artigos fonográficos dos EUA, fecha suas portas.

Para quem gosta de música e acompanha toda essa loucura que a Internet viabiliza com a proliferação de lojas e rádios virtuais, comunidades sobre todos e os mais excêntricos interesses musicais, e – principalmente – o uso crescente de softwares para download de músicas, já percebeu que muita gente deixou de comprar e frequentar lojas de discos.

Afinal, por que comprar – ainda mais em tempos de crise mundial – se é possível conseguir o que quiser via Internet? Ok, sabe-se que ao mesmo tempo em que a Internet facilitou a democratização e o acesso à informação, por outro lado, fez com que o modelo tradicional de se fazer música fosse por água abaixo, e questões legais de utilização de direitos autorais e regulamentações sobre conteúdos distribuídos na rede saíssem de controle numa enorme e veloz miscelânea da informação.

Hoje já se tornou comum artistas e gravadoras pararem de contestar essa realidade da Internet e, realmente, se adaptarem a um novo modelo de mercado, o que significa, entre outras coisas, saber utilizar a velocidade e a facilidade da Internet para o desenvolvimento e divulgação de material relevante para fãs, deixar de lado o mercado de massa e aceitar, cada vez mais, essa enorme segmentação de quem os escuta e admira.

Em contrapartida a esse mundo apenas virtual, e com a intenção de incentivar a ida às lojas de discos, já que estas vêm apresentando quedas de vendas significativas nos últimos anos, foi criado o Record Store Day. Desde 2007, todo dia 19 de abril, diversos artistas, amantes da música e donos de lojas de discos abraçam a causa e promovem lançamentos de materiais promocionais, shows nas lojas e produzem clipes e vídeos com depoimentos sobre a importância das lojas de discos para o mercado fonográfico. Para maiores informações sobre tudo o que rolou no último Record Store Day, sábado passado, acesse o site oficial da causa:www.recordstoreday.com.

E você? Continua comprando CDs ou baixa tudo pela Internet? O que pensa sobre tudo isso?

Abraço!