Geada em Curitiba -  Parque Barigui. Fonte: brasil.gov.br

Estava acompanhando o alvoroço curitibano com a possível caída de neve, e a expectativa de 38 anos acabou na manhã no dia 23/07/2013.

Ah! Como é bonito… É bonita a neve e é bonito ver o curitibano orgulhoso da sua “curitibaneidade” reafirmada no ideal europeu. Sei que neve é legal e bonita e que todo mundo que tem vontade deveria ter a oportunidade de ver/tocar/comer.

Mas…

Sei também que Curitiba tem abrigos que suportam apenas 25% da demanda necessária e que todos os anos ocorrem mortes por frio nos estados sulinos (em Curitiba, ano passado, foram duas). E esses 25% de atendimento só existem porque a onda de frio dos últimos dias obrigou a criação de mais 350 vagas em seis abrigos da cidade. Curitiba conta hoje com mais de 4000 ‘vultos’. Morte por frio… Tenho certeza de que você que está lendo esse meu devaneio em seu trabalho ou sua casa sabe o que é doer de frio. Mas imagina doer de frio até morrer? E acompanhado disso vem o estômago vazio, o lar degradado, a falta de esperança…

Sei, ainda, que Curitiba é uma cidade como todas as outras, com direito de ter suas coisas boas e más (admito ter menos paciência com o lado ‘ruim’ de Curitiba… mas é tanta propaganda da perfeição que basta um pouco de senso crítico para que, vez ou outra, certa irritação venha à tona).

Tendo isso em mente, divulgo aqui o site que lista os locais que a prefeitura disponibilizou para a recolha de agasalhos e cobertores.

Quem puder, por favor, doe.

http://www.doecalor.com.br/

Rafaela Dalbem (professora de Geografia do Colégio Medianeira).